CONTRACULTURA

confira a seção links com indicações sobre vários temas!

Sobre provocação e vigilância 28/10/2010

Filed under: Uncategorized — gertrudenotstein @ 16:37
Tags: , , ,

Essa história toda do horrível rodeio de gordas, juntamente com as discussões na lista de blogueiras feministas e mais a entrevista da Preta Gil me fizeram pensar nisso. Nisso de provocação e vigilância, que já já vou explicar. Antes só queria dizer que eu não vou comentar só o rodeio especificamente porque acho que elas já disseram tudo que eu diria (ainda que nesse caso nunca seja demais..).

O negócio é o seguinte. Como comentei num dos e-mails e depois uma outra pessoa também comentou, uma pessoa como a Geisy, ou uma mulher gorda, ou qualquer pessoa que desafie algum tipo de parâmetro da sociedade e/ou da mídia, é uma provocação. Afinal, a Preta Gil posando nua em seu encarte foi alvo de tantas piadas, tantas críticas, tantos comentários ofensivos por quê? Nunca vi ninguém falando da Britney, por exemplo, ou da Christina Aguilera, que já posaram semi-nuas ou nuas em seus respectivos encartes. E elas são só dois exemplos.

É que a Preta Gil é gorda, e pra piorar, é negra. Quer provocação? Ela nua no encarte de seu cd, se sentindo à vontade, em poses sensuais, mas que pelo visto são somente reservadas a quem a sociedade/mídia aprova. E o que acontece quando você se revolta, faz algo que não é esperado de você? Você é punido, das mais diversas formas. Desde as mais sutis até as escancaradas. Desde piadinhas rotineiras sobre gordas até rodeios. Não vejo porque separar muito uma coisa da outra. Pra mim, como a Lola também comentou no fim de seu texto, é tudo parte da mesma coisa. São formas que a própria sociedade cria pra que seus padrões culturais, para que as idéias dominantes permaneçam estáveis. É uma coisa repressiva, mas sutil. Sabe quando você é pequeno e vai fazer alguma coisa que te deu na telha e nem bem você começa e já vê o olhar da sua mãe ou do seu pai? Eles não disseram nada, mas só pelo olhar deles você já se sente errado de tá querendo fazer aquilo. Agora imagine que a sociedade toda tem um grande olho, e dá esse olhar a tudo e a todos sempre que precisar, das formas mais variadas e diversas.

Todo mundo critica os caras da Unesp, os caras da Uniban, os caras da USP (no caso da homofobia). O caso é que eles só foram mais explícitos em seus mecanismos de controle. Sem querer, é claro, diminuir a gravidade da questão ou o nível de humilhação, que tenho certeza que devem ser muito mais traumáticos do que outras coisas. Só quero dizer que é melhor ter uma visão mais ampliada da coisa, e não enxergar esses casos como isolados. Eles são só uma parte disso tudo, de um grande sistema vigilante e punitivo. Geisys e Pretas Gil, afinal, devem ser postas em seus lugares, não?…

Anúncios
 

3 Responses to “Sobre provocação e vigilância”

  1. […] contracultura Share Cynthia SemíramisFeminista, ex-advogada, aprendiz de antropóloga, gateira, interneteira. Pesquisa direitos das mulheres.Website – Twitter – More Posts Cynthia Semíramis On outubro – 28 – 2010 […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s